#shopping: 3 passos para descobrir se a roupa vai durar anos ou semanas

Ok, você já avaliou, reavaliou e definitivamente precisa ir às compras. Tudo bem. Nada mal nisso. Se você iniciou sua jornada de vida consciente recentemente é natural que ainda tenha coisas (talvez muitas) que vão precisar ser substituídas daqui para frente. Mas é importante lembrar qual é então o foco da vez para que não cometer os mesmos erros, certo? Boa! Isso quer dizer que dessa vez nada de deixar o preço determinar a sua compra, ok?! Já sabemos que vale a pena perder alguns minutos ao comprarmos qualquer coisa para termos a certeza de que estamos comprando melhor, portanto, de agora em diante “bora” sair com garra e determinação!

E se você pensa que isso vai ser complicado ou te fazer perder muito tempo da sua concorrida agenda, ledo engano. De forma simples, porém eficaz, aqui vai 3 – isso mesmo, três simples passos para garantir que sua próxima nova peça de roupa tenha um prazo de validade maior que do sabão da máquina de lavar.

1. Atenção aos acabamentos

Fast fashion até costuma fabricar razoavelmente bem as suas atraentes peças, mas quando olhamos os acabamentos, vemos zíper e botões baratos que certamente não durarão mais que alguns usos. Não adianta, botões, zíperes, ganchos, fechos, devem ser resistente e estar bem costurados para que uma peça dure. Afinal, reflita comigo, roupas são feitas para pôr, tirar, usar, lavar, passar repetidamente, certo? Então precisam estar preparadas para isso. Você pode até insistir usar algo desbotado ou desgastado, mas sem botões ou qualquer outro aviamento aparente, por favor não. Antes de comprar a peça, ao experimenta-la, puxe os botões e dê uma boa olhada de perto. Este pode ser o primeiro sinal se vale ou não o investimento.

2. Verifique a costura e áreas de alto contato

Estamos falando das áreas que serão muito esticadas ao colocar e tirar ou zonas que terão muita fricção quando usadas. Por exemplo, nas calças – especialmente as jeans, nas virilhas e nas coxas; Nos suéteres e malhas: em volta do pescoço, ao longo da costura lateral e nos punhos e axilas, e por aí vai… O ideal é que essas áreas tenham costura adicional e, de preferência, que as costuras tenham um bom acabamento. Pouc@s de nós são mestres na arte da costura, mas é fácil perceber quando o acabamento é mais elaborado ou não. Se não consegue ter essa percepção, tente observar o acabamento de uma peça de alta qualidade e use-a como referência na sua próxima compra.

3. Evite os sintéticos

A primeira coisa a verificar é a etiqueta de fabricação. Se uma marca é excessiva em sintéticos, muitas vezes é o seu primeiro e melhor sinal de que o seu foco é preço e não qualidade. E por quê? Porque a maioria dos sintéticos são muito mais baratos do que os tecidos naturais, daí serem os preferidos das que visam reduzir custos. Vale lembrar que fibras naturais, quando bem cuidadas (claro) melhoram com o tempo e uso, já com a fibra sintética a recíproca não é verdadeira. Porém, às vezes os produtos sintéticos são adicionados à roupa para proporcionar desempenho como flexibilidade, absorção de umidade ou brilho – ou no caso de designers veganos para evitar o uso de peles e peles de animais… E aí começa a polêmica.

Como saber então se uma marca está usando sintético para baratear produção, para melhora-la ou por questão de consciência ambiental? Bem, a dica é se você descobrir poliéster e ou misturas acrílicas e sintéticas em TODOS os itens oferecidos pela marca (independentemente de ser uma t.shirt ou um jeans), isso significa que essa empresa escolhe tecidos com base em custo e não em qualidade ou ética moral. Entenda que se uma marca é barata em relação a tecidos, ela provavelmente também corta custo em outras áreas. E esse pode ser um excelente indicador de que suas roupas novas vão se desfazer em semanas.

A verdade é que encontramos a qualidade nos detalhes. Um item de baixa qualidade renunciará aos detalhes e falta de detalhes é o primeiro sinal de redução de custos em geral. É um bom indicador de que seu item provavelmente não irá durar, pois não tem qualidade suficiente para isso. Aliás, é essa falta de detalhes que muitas vezes prolonga (por algumas lavagens) uma roupa barata. Só mais tarde, quando já temos o item em nosso armário, que percebemos que afinal não era tão bom quanto parecia. E isso é ainda pior do que ficar sem um botão, pois o botão conserta-se, já a qualidade…

Por isso, se quer mesmo que suas novas roupas durem mais, a qualidade precisa ser o foco. Dominar a arte da compra leva tempo, mas aprendendo a ser mais exigente, descobrirá marcas e designers que você pode confiar. Deixe seu olho e sua mão serem seu guia e eles @ levarão às compras certas com mais frequência. Afinal, detectar qualidade é uma jornada não o destino.