O GRANDE Manual da Base Perfeita

Hoje estamos pelos básicos da maquilhagem e sinceramente, não consigo parar de sublinhar a importância de uma boa base. Ora, quem diz base, não fala apenas do produto que se coloca na pele, mas sim daquilo que é todo o pilar da maquilhagem, e sem  dúvidas, o mais evidente quando mal comprado ou mal aplicado. A grande verdade é que a maior parte das pessoas não compreende o quão essencial é, ou ainda, para que consiste uma base. E assim, para esclarecer de uma vez por todas, uma base serve não só para uniformizar e como também para engrandecer a pele. A Base até pode cobrir alguma vermelhidão, pode tapar algumas borbulhas, papos ou olheiras, no entanto, essa não deve ser a sua principal função. A base é apenas para aprimorar a pele e não para correcções que achemos por bem fazer em nossas “falhas”.

close-up-face-with-cosmetic-foundation-1

A COMPRA

O segredo começa logo na loja. Esqueça a ideia de achar que vai encontrar a base dos sonhos logo ao testa-la na loja. Ali a luz é altamente artificial, os tons da pele podem estar alterados, seja para um tom mais azulado ou mais amarelado, ou ainda podemos até ter restos de maquilhagem que pode alterar o verdadeiro tom da nossa pele. O ideal é pedir uma amostra para poder levar para casa e experimentar. A base é algo que está em contacto directo com a pele, por isso, é essencial certificar que aquela base ridiculamente cara ou tão tentadora de tão barata pode ou não nos causar uma alergia brutal. Assim sendo, a solução é pedir uma pequena amostra da base, para experimentarmos a textura, duração e claro, tom a usar. O ideal é experimentar a base consoante a utilização que pretende-se dar: se é para o dia a dia, então experimente logo pela manhã. Que tal olhar por uns momentos no espelho e analisar o resultado? A base altera-se com o passar do tempo, seja pela absorção da pele ou seja pela evaporação dos silicones e de outros químicos que contém. Como estão os poros? Estão tapados? A base tem algum brilho? Gosta? Quanto tempo aguenta a base? A base mudou de cor com a acção do oxigénio e da luz? Qual a transição do tom desde o queixo até ao pescoço? Quando respondemos a todas estas perguntas (e mais algumas) podemos ter a certeza de que estamos 100% certas que o produto final vai de encontro com as nossas expectativas, resulta como estamos à espera e que será um produto que iremos repetir a compra mais tarde.

 makeup O TOM CERTO

Antes de tudo, olhe para o espelho depois de ter a pele descansada, sem esfoliações ou produtos. Observe a pele do rosto, pescoço e até das mãos. Que tons tem? Ignore as eventuais borbulhas e vermelhidão, há certamente algum pedacinho que tenha o seu tom puro. Encontrou? Então essa é a sua cor. Não compre base laranja, nem base amarela. Não é suposto ficar mais bronzeada ou mais corada com a base, pois se não tiver produto (ou paciência) suficiente para alastrar o efeito no pescoço, mãos e até orelhas, será evidente que “tom novo”, e pior, se parecerá que está a usar uma máscara. Não é, também, a pigmentação que a pele pode ter porque está mais corada ou porque tem uma borbulha que define a sua cor. Provavelmente a sua pele terá vermelhidão em alguns pontos e será um tom mais escuro que o pescoço, pois está em maior contacto diariamente com o sol. O segredo é ignorar esse “ruído visual” e procurar o tom que não esteja influenciado pela pigmentação, acne ou outros detalhes. Assim, a cor que escolher para a pele do rosto fará uma pequena e leve transição para o pescoço que, mesmo que leve um pouco de produto, transaccionará bem para o tom real (e provavelmente mais claro) das restantes partes do corpo.

 Foundations-Banner O TIPO DE BASE CERTA

Todos temos peles diferentes, logo não poderia haver apenas um tipo de base que servisse para todas as pessoas. Por muito que acertemos no tom, se a fórmula não for ideal ao nosso tipo de pele o resultado é tão desastroso como se não tivéssemos acertado na cor. Assim sendo, deve primeiro considerar que apesar de, teoricamente termos “sempre a mesma pele”, as condições atmosféricas a que expomos o corpo mudam constantemente – provavelmente climas mais secos no Inverno e mais quentes e oleosos no Verão. Assim sendo, a base e sua textura deve adaptar-se ao tipo de pele que tem, à altura da vida que está (sim, a idade!) e às condições atmosféricas que a sua pele enfrenta. Outra pergunta essencial que deve fazer é que tipo de cobertura quer? Quer uma cobertura mais leve e mais natural ou quer algo assumido e evidente? Quer cobrir mais a sua pele ou quer que ela viva por detrás do produto? Todas estas perguntas têm a ver com a fórmula que vai comprar e podem ser características que deve pedir à vendedora, que certamente considerará o seu pedido e conhecerá a melhor base no mercado para a sua pele e à sua carteira.

 20140806_2301240 A APLICAÇÃO

Preparar a pele para receber a base é essencial, e aí há como dar muita ajuda, pois cada pele é uma pele. O importante é que, antes de aplicar a base, a pele já esteja preparada para recebe-la. Se tem a pele oleosa, ter a pele o menos “pegajosa” é essencial para que a base não “deslize” durante o dia, e o mesmo para a pele mais seca, não deve ter uma grande camada de hidratante antes do produto final ou então, estar muito seca, pois o produto não aguentará muito tempo.

Observado isso, opta-se por um dos 3 métodos de aplicação da base: com as mãos, pincéis ou com uma esponja. Qual o método certo? Depende da cobertura que quer, da textura que a base tenha e da forma como se sente mais confortável em aplicar o produto. A maior parte dos profissionais e “beauty lovers” preferem as mãos e pincéis, pois as esponjas, além de absorverem muito produto, ficam com um ar muito acabado e sujo rapidamente. Primeiro utiliza-se o pincel para colocar e espalhar pela pele e finaliza-se então com uns pequenos toques dos dedos para que o calor dos mesmos e base se misturar à pele e criar um ar mais natural ao resultado final. Os pincéis usados para a aplicação da base variam muito em relação a forma, qualidade e preço, por isso, o melhor é escolher conforme o seu gosto.

A verdade é que cada caso é um caso e nada melhor que experimentar várias opções e ver como se sente mais à vontade e com qual dos resultados mais gosta de se ver. Outra dica importante é ir colocando mais produto à medida que se vai avançando e não deixar logo a pele com muito, pois assim, pode-se deixar algumas partes sem base ou com base demais, caso a pele esteja bonita e perfeitinha de raiz. 😉