MODALISBOA: 10 designers que se destacaram na Fashion Week Lisboeta

No último dia 9, terminou a 47ª Edição da Modalisboa, a Semana de Moda da cidade, que sob o tema “Together” celebrou 25 anos da criatividade portuguesa. Com duração de quatro dias, o evento promoveu debates e encontros de profissionais de todo o mundo, apresentou 20 marcas emergentes e coleções de 30 nomes entre novos e já conceituados designers. Enquanto o turista passava desavisado e curioso com a correria dos modelos, fotógrafos e “trendsetters” pela Praça do Comércio, o Pátio da Galé transformava-se em palco para mais um espetáculo da moda nacional.

Em discreto porém contínuo crescimento, o design português tem conquistado cada vez mais adeptos em território nacional e já ganha espaço nas aclamadas Semanas de Moda do mundo. O talento lusitano despertou a atenção de marcas internacionais que passaram a contratar criadores portugueses para assinarem suas linhas exclusivas. A criatividade e qualidade no setor o da joalheria resultou num crescimento de 500% e, quando o assunto é calçado, pasme, Portugal já é o 12º maior exportador do mundo!

Pois é, há muito mais que miradouros e tascas pra se visitar em Lisboa. Por isso, se está ou vem à cidade, sugiro que poupe algum tempo (e dinheiro) para conhecer e visitar alguns dos vários talentos da moda que a cidade da luz abriga. E se a missão da ModaLisboa é divulgar o melhor da moda portuguesa para o mundo, a nossa é facilitar a sua vida e apresentar esses que foram os destaques desta edição da Lisboa Fashion Week.

Street Style de João Barriga

Vencedor do Sangue Novo – ala do evento que dá destaque à novos criadores, João é do Algarve e acaba de concluir o curso de designer de moda. Apresentou a coleção “blackout”, street-urbana, oversized e predominantemente preta. Se é fã de streetwear, então fique de olho nele.

ob_075c49_joao-barriga-ss17-modalisboa-together

O Chic Português – Nuno Gama

Nacionalista por natureza, não há outra pessoa que representa tão bem a sofisticação lusitana como Nuno Gama. Estilista conceituado, tem sua marca comercializada em quase toda a Europa, nos Estados Unidos, Canadá, Japão, Arábia Saudita, Taiwan e Hong Kong. A sua coleção SS17 denominada “Luzboa” foi uma declaração de amor pela terra lisboeta que apresentou uma mistura de peças minimalistas com alfaiataria de precisão e cortes sofisticados.

nuno-gama

O boho boêmio de Christopher Sauvat

Embora o seu dna seja hippie, a influência do chic parisiense está nas veias desse francês que vive em Portugal há mais de 10 anos. Para a sua coleção SS17, Christopher misturou influências do sul da França, Peru e Itália e apresentou uma coleção étnica única.

sauvat

A moda dramática de Dino Alves

Do cinema para a moda, Dino é designer, figurinista e stylist.. Além de ser presença assídua na Semana de Moda Lisboeta, Dino Alves já teve suas coleções apresentadas na Espanha e na Alemanha e assinou uma linha de malas da marca italiana “Segue”. Em sua coleção SS17, sob o tema “Warning”, sinais de alerta eram dados por folhos, tules, transparências em contrastes de tons pastéis e cores fortes, como cinzas e pretos.

dino-alves

A magnitude metálica de Olga Noronha

Olga Noronha, tem 26 anos, é designer, vive em Londres e está presente no ModaLisboa desde 2013. Começou a expor aos 17 anos e aos 21, já tinha uma peça sua na exposição de Saint Martins ao lado de Alexander McQueen. Sua coleção SS17, ODE, apresenta uma harmonia entre a estética da Filigrana Portuguesa, as cores do barroco de Queluz e a sina do Fado.

olga-noronha

O icónico estilo de Felipe Faísca

No auge do seu 25º ano de sua carreira, Felipe Faísca, duas vezes eleito o melhor designer de moda de Portugal, apresentou a coleção “retrospectiva” que, sobre o mote temporalidade e influência de Brigitte Bardot, aliou o chapéu e cesto algarvio às silhuetas fluídas em seda, com rendas, plissados e prints vibrantes.

faisca

A versatilidade de Ricardo Preto

O criador apresentou a coleção masculina “Walk on By”, inspirada no conforto e na praticidade. A coleção é composta por peças funcionais, em tons de azul e verdes, preto e branco. Já a coleção feminina “Do you see me?”, veio em tons verde e rosa, silhuetas fluidas e cores como o preto, o nude e o branco, que representavam a beleza das Filipinas, a sua inspiração. Experiente e bastante conceituado, Ricardo Preto, após contribuir com várias marcas e ter a sua própria, hoje desenha exclusivamente à Rustan’s Men and Woman para o Mercado asiático.

ricardo-preto

A irreverência de Valentim Quaresma

Valentim Quaresma expressa sua criatividade através da moda e da arte. Trabalhou por quase duas décadas com Ana Salazar, a pioneira da moda portuguesa, e lançou a sua marca própria quando venceu, em 2008, o prémio Accessories Collection of the Year, na competição internacional ITS#7 na Itália. Suas peças que agradam celebridades (Lady Gaga, entre elas) e colecionadores de arte, já foram expostas em mostras na Espanha, Italia e França. Para SS17 apresentou uma coleção que preza a liberdade com peças em neoprene, couro e metal.

valentim-quaresma

O FlashBack de Luís Carvalho

Luís participou de inúmeros concursos em Portugal e no estrangeiro até vencer o prémio de melhor coordenado masculino, no Acrobactic em 2011. Foi voluntário no ModaLisboa, trabalhou nos ateliês de Filipe Faísca e Ricardo Preto como assistente, geriu a loja de Miguel Vieira e foi designer na empresa Salsa Jeans, até se lançar em próprio nome em 2014. Para SS17, apresentou a coleção “Heart of Glass”, inspirada no estilo de Debbie Harry dos Blondie nos anos 70. Texturas e contrastes entre o crop e o longo, o fluído e o estruturado, o skinny e o oversized marcam as silhuetas em cores vivas e metalizadas.

luis-carvalho

A elegância tropical de Nadir Tati

Nadir Tati, ganhou o prémio de Melhor Criadora no evento Moda Luanda, foi homenageada com o título de Diva da Moda, e conquistou o prestigiado Prémio Sirius, por sua excelência no ramo empresarial. Defensora das tradições africanas, Nadir Tati leva a moda angolana a Portugal, Estados Unidos, Alemanha, México, Bélgica, Macau, Espanha, África do Sul, Moçambique, Quénia, Togo, Tanzânia. Em “Caminhos da Alma”, sua coleção SS17, drapeados, bordados, transparências, rendas e tecidos africanos dão forma a peças estruturadas que realçam tanto o corpo feminino como o masculino.

nadir-tati

*Fotos: Modalisboa.