Diego Ferrer – an old soul inspired by timeless fashion

Entre reclamações e desabafos do dia, fotos dos filhos, cães, gatos, papagaios e afins, eis que surge em minha “time line” do facebook, um editorial que chama minha atenção. Já não me lembro o tema e tampouco a revista que divulgava o “shooting”, mas aqueles vestidos, certamente seriam para não esquecer… Mas afinal, de quem são esses vestidos? – pensei. A resposta veio logo: Diego Ferrer. Quem?!?! (você pergunta), e eu novamente: Sim, Diego Ferrer. Um jovem de Guadalajara, que estudou designer de moda em Nova York, onde desenvolveu sua marca e abriu seu atelier, o D’Ferrer Design Studio.

A ideia de criar um estúdio foi de ter um espaço onde fosse possível quebrar todas as regras e para se fazer novas regras. “Eu gasto muito tempo a quebrar as regras para finalmente fazer as minhas próprias regras. Minha inspiração se estende desde os tempos vitorianos até o futuro na moda”, diz Diego. “Eu desenho para mulheres que querem ser diferentes. Para aquelas que não têm medo do poder e para aquelas mulheres que querem governar a sua própria vida. Mulheres que não acreditam nas velhas regras de moda.” – Hummm…. Nós gostamos disso!

Para aqueles que acham suas criações “a little bit crazy“, Diego diz que acredita ser importante parecer um pouco louco às vezes, pois a loucura, assim como outros estados de espírito, tal como a tristeza e a melancolia, são parte da vida e que vão lindamente quando misturados ao romantismo. “Gosto de criar em silêncio e deixo meus projetos gritarem para mim. Quando eu desenho, eu tento vender tudo o que eu tenho em minha mente naquele momento”, afirma Diego de forma muito inspiradora.

1901246_537064999760100_4047263173678855254_n IMG_0991a IMG_1017a IMG_1037a IMG_1050a IMG_1054a IMG_0999a IMG_1059a IMG_1079a

Sua nova coleção, a Immaculate Collection, têm forte influência de sua infância, posto que como cresceu numa escola católica, se envolveu profundamente com a tradição e tais regras o acompanharam toda vida. “Ainda me lembro dos nomes dos santos, de todos os pecadores e as coisas ruins que eles fizeram. Havia alguns que, especialmente, chamaram minha atenção, como Maria e Salomé. É nisso que esta coleção é baseada”, explica Diego Ferrer. Nos vestidos, Diego tentou capturar a essência da contradição entre a pureza e impureza, dando um pouco mais de energia para o lado impuro (claro!), pois assim como os pecadores, Diego gosta de pensar que com suas criações pode quebrar as regras e reinventar novos padrões e novos estilos de vida…

Absolutamente tentador, não acham?! 😉