Castelo de São Jorge: vista e sabores indescritíveis

Eu não sei você, mas eu sempre torço meu nariz na hora de fazer um passeio turístico. Imagino logo muito tumulto, gente de todo tipo, juntas e misturadas, querendo todas fazerem a mesma coisa ao mesmo tempo… Para mim, passeio turístico é sinônimo de confusão. E o pior é que muitas vezes é mesmo. Mas, como toda regra tem sua exceção, há aqueles passeios que desafio ir e acaba por ser uma surpresa agradabilíssima! Foi o que aconteceu outro dia quando fui finalmente visitar o Castelo de São Jorge em Lisboa.

Clima agradável, cidade tranquila, tudo favorecia. Como a ideia era fazer um passeio depois do almoço, saímos de casa já com nossa reserva feita no tão famoso restaurante Casa do Leão dentro do belo Castelo de São Jorge que tem uma vista magnífica sobre a cidade e que estava em cólicas para conhecer, sobretudo pela fama da boa comida.

O Castelo de São Jorge fica bem no centro de Lisboa, na freguesia de Santa Maria Maior (Castelo), um bairro de difícil acesso para quem vai até lá de carro. Uma boa dica é, se puder, vá de elétrico ou com carro pequeno, pois nem nos pouquíssimos “parkings” é fácil encontrar vaga, especialmente se o seu carro for grande. Essa talvez seja a única parte difícil do passeio. Carro estacionado, segue-se ao Castelo a pé, por uma subida curta e… “voilá”! O imponente Castelo de São Jorge! Uma pena que hoje em dia o que resta do Castelo são ruínas, mas o passeio vale a pena principalmente pela vista, pois lá consegue-se ter uma visão única de 360º pela pacata Lisboa. E é lindo! Vale mesmo a pena.

Dentro do Castelo há um café, pessoas vendendo produtos locais e um único restaurante, o famoso Casa de Leão. Tipicamente português – claro, o Casa de Leão, é um restaurante intimista: pequeno, porém espaçoso, e quando entramos entendemos porque é tão difícil conseguir uma reserva. A decoração totalmente tradicional lusitana, o atendimento atencioso e amistoso e a comida, fantástica. Quando entrei, devo confessar que achei que fossemos comer comida pesada, estilo “home made”, mas me enganei. Os pratos são muito bem apresentados, a carta de vinhos seletiva e sobremesas maravilhosas. Após uma pequena oferta da casa de salada de polvo e gaspacho, como um “Mise en bouche” (aperitivo). De entrada pedimos “Camarão com Massa Kataif, maionese de Ervas Frescas e Salada de Folhas Verde” e “Foie Gras sobre Crumble de Frutos Silvestres e Redução de Moscatel” que estavam fantásticos e servidos lindamente. Como principal, “Magret de Pato ao molho de pimenta” e “Costeleta de Borrego com Batata Gratinada e Redução de Vinho Tinto”. Na sobremesa me “esbaldei” num delicioso bolo de chocolate, mas fiquei contente mesmo foi com os brigadeiros que vieram com café… Claro que não são como os brasileiros (aliás, ainda não encontrei igual aqui em Portugal), mas gostei da tentativa… Estavam muito bons. 🙂       

IMG_2367 IMG_2371 IMG_2393 IMG_2374 IMG_2379 IMG_2380 IMG_2382  IMG_2384 IMG_2386  IMG_2395 IMG_2397  

O que mais gostei do restaurante é que se optar por almoçar a vista é linda, mas se preferir ir ao jantar, a vista é melhor ainda!
E não, não é um absurdo de caro… Aliás, pelo contrário! Tem ótimo custo-benefício: uma refeição com entrada, prato principal, sobremesa e vista impagável fica em torno de € 40.

Vale a pena se aventurar e conhecer! 😉